domingo, 17 de maio de 2009

O DESAFIO: COISAS A FAVOR DE QUIQUE

"Que querem que diga quando não ganhamos jogos com 60 por cento de posse de bola, 25 remates ou mais, golos anulados, golos sofridos em fora-de-jogo, com faltas de concentração. É muito doloroso". (…) “É como ter um carro preparado e que avaria a cinco metros da meta. Há seis semanas, tínhamos esperança [de chegar ao título] e agora o final é outro. Nunca me tinha acontecido como técnico.” (…) "O futebol às vezes deixa-nos numa situação desconcertante."
Quique Flores in Público

A única coisa desconcertante é mesmo Quique Flores, nomeadamente com discursos desta natureza. O desafio ou o exercício que se propõe é, exclusivamente, este: descubra-se algo de positivo que Quique Flores tenha feito esta época. Aceita-se até um único apontamento. O desafio está feito.

1 comentário:

Dylan disse...

"Flores para Quique"

É fácil perceber porque Quique Flores não triunfou no futebol português.

O discurso elevado de um estudioso do futebol, o seu "fair-play", os seus grandes valores morais, a sua forma de estar, não se coadunam com a linguagem brejeira utilizada pelos senhores do futebol cá do burgo onde se misturam compadrios entre políticos, empresários, advogados, jornalistas, árbitros e dirigentes desportivos. Um futebol de calças na mão, endividado, que louva a desonestidade, onde a verdade desportiva é questionada e o campeão é proclamado quase por decreto.

Os métodos inovadores no plano técnico-táctico do espanhol, na pele de um verdadeiro gentleman, amplamente reconhecidos e elogiados no seu país, não foram suficientes para o desvirtuado futebol português que realmente provou desconhecer.

http://dylans.blogs.sapo.pt/