terça-feira, 25 de novembro de 2008

O EMPATA MENEZES

Menezes parece aqueles “empatas” que não come nem deixa comer. Acho impressionante a sua capacidade de gostar tanto de falar e tão pouco de ouvir, quando era líder do partido, ao ponto de deixar a liderança por causa do ruído da oposição interna, para depois despejar toda a birra e sobre todos, de forma sistemática e constante. Isso é ter um pouco de feitio indonésio.

Num PSD que continua a cumprir o papel das oposições esvaziadas por governos fortes. Aliás que me lembre, não vejo nenhum grande primeiro-ministro que tenha saído de uma grande oposição. Se formos a ver, nem Cavaco, nem Sócrates saíram do desgastante trabalho de oposição. Ser oposição só serve para “queimar”, e quando Rui Rio avançar, não vai fazer oposição, vai sobressair da oposição dos outros como líder do Governo.

1 comentário:

Nelson T. da Silva disse...

Concordo com a sua percepção de L.F. Menezes. No entanto, sempre tive muitas reticências em relação ao salvador que se espera, como se um D.Sebastião se tratasse, para se afirmar como líder do que quer que seja, partido ou país. Lembro António Guterres, Durão Barroso, e mesmo António Vitorino... Deles se esperavam grandes coisas, que se afirmassem como líderes. Porém uns desiludiram e saíram outros nem chegaram a avançar. Vamos ver se Rui Rio não será mais um caso colocar na mesma gaveta.